Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Polícia Civil promove "Papo de Responsa" com alunos do INES
Início do conteúdo da página
Notícias e Avisos

IX Semana Pedagógica do INES discute formação de professores bilíngues, políticas linguísticas e práticas pedagógicas

  • Publicado: Terça, 14 de Agosto de 2018, 19h21

O Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) realizou, nos dias 9 e 10 de agosto, a IX Semana Pedagógica do INES: Formação de professores bilínguespolíticas linguísticas e práticas pedagógicas, além da IV Jornada de Iniciação Científica, que aconteceu na véspera (dia 8). O evento, que foi também uma edição especial do Fórum Bilíngue, reuniu cerca de 200 pessoas em palestras, mesas redondas, roda de entrevistas e oficinas, com o objetivo de promover a formação e a participação dos alunos do curso bilíngue de graduação em pedagogia do INES, assim como proporcionar ao público externo uma aproximação com as questões atuais e pertinentes à educação de surdos, discutidas por pesquisadores da área. 

A conferência de abertura do dia 9 contou com a presença do professor André Reichert, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que abordou políticas linguísticas e educação de surdos em sua palestra. André fez um panorama da legislação vigente e dos avanços conquistados pelo movimento surdo no que diz respeito ao lugar da língua brasileira de sinais (libras) na sociedade e à visibilidade das diferenças culturais. "Com a questão 'que educação os surdos querem', de 1999 até hoje, podemos dizer que 60% das metas foram alcançadas. Tudo é uma negociação, não só linguística. Não se pode desprezar surdos nem ouvintes. É necessário saber chegar a quem está no poder, que são ouvintes, para apresentar o que queremos e precisamos", afirmou.

Continuando a programação e a discussão inicial, Marcia Lunardi Lazarin, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), ministrou a palestra "Currículo, diferença e prática docente", em que ressaltou o fortalecimento do protagonismo surdo entre 1995 e 2002, mas revelou acreditar em um enfraquecimento após a Lei de Libras. "Garantimos o reconhecimento da língua, e depois? Agora temos que lutar por outras coisas... que essa língua de fato chegue às escolas, que haja referências linguísticas para a educação básica etc. É preciso investir numa formação de movimento surdo que volte a olhar para a escola básica e a escolarização, pois foi de lá que surgiu a luta pela educação bilíngue, e não na universidade", alertou Marcia.

Outros convidados participaram de palestras e debates ao longo da quinta-feira, enquanto a sexta, último dia da Semana Pedagógica, foi reservada para minicursos e oficinas. Temas como audismo, formação de professores, pedagogia em espaços não escolares e experiências de filhos de pais surdos foram destaques da programação. Nas oficinas, os participantes puderam ter aulas de teatro a história, construção de materiais didáticos, tradução e interpretação, saberes sobre autismo e surdocegueira, entre outros. No dia 8, a IV Jornada de Iniciação Científica do INES apresentou, como de costume, atividades de iniciação científica desenvolvidas por alunos bolsistas do PIC-INES e demais alunos participantes de pesquisas na graduação ou pós-graduação do INES e de outras instituições de ensino inscritos no evento.

 

 

Fim do conteúdo da página