A experiencia de ser surdo: uma descrição fenomenológica

Rodrigo Rosso Marques

Resumo


A presente tese expoe uma pesquisa ontologica sobre o Ser Surdo, fundamentada no corpo proprio; uma reflexao sobre as pessoas surdas antes de destacar seus aspectos culturais. O que leva essas pessoas a produzir estes aspectos? Seria apenas uma necessidade linguistica? Objetivando repensar a questao da deficiencia e da cultura, a fundamentacao parte de uma premissa fenomenologica nos estudos de Maurice Merleau-Ponty; em particular, da sua obra Fenomenologia da Percepcao, a qual aborda a questao do corpo proprio. A tese foi desenvolvida com base na experiencia da surdez do proprio autor, uma vez que, atuando como ator e autor da experiencia em diversos campos, vivenciou a transicao para a surdez, o desespero e aceitacao da familia, o cotidiano escolar na infancia, na adolescencia, na juventude e maturidade, e nos diversos niveis de ensino ate a conclusao desta pesquisa. Desenvolvido sob o método descritivo, a abordagem fenomenologica induz a uma analise do corpo enquanto agente essencial das atitudes que descrevem a pessoa surda; atitudes essas, tomadas por um grupo de pessoas surdas, evidenciam a chamada “cultura surda”. Como resultado, evidenciaram-se caracteristicas corporais e perceptuais que sao especificas das pessoas surdas, constituindo-lhes a essencia de ser e contrapondo a questao da deficiencia. Nao obstante, a pesquisa ainda apresenta novas formas de repensar os estudos sobre as pessoas surdas, naquilo que sempre foi rejeitado como uma possibilidade a elas: o som.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20395/re.v0i43.18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Espaço

Revista Espaço 1990-2019 | INES - Instituto Nacional de Educação de Surdos

ISSN Impresso 0103-7668

ISSN Eletrônico 2525-6203

Indexação