Como avaliar a Língua de Sinais

Patricio Levin Blanco

Resumo


Esta pesquisa aborda o aprendizado da Língua Chilena de Sinais (LSCh), reconhecendo-a como a língua natural das pessoas surdas e respeitando-a como parte da sua própria cultura. O desenvolvimento desta pesquisa foi efetuado na Escuela Básica Especial de Sordos n. 1712 “Santiago Apóstol”. Com o objetivo de identificar o domínio de níveis de conversação foi utilizado um instrumento formal, denominado "Kendall", avaliação desenvolvida nos Estados Unidos, mas adaptada à realidade chilena. A pergunta de investigação que norteou o trabalho foi: "Qual o impacto no aprendizado dos níveis de conversação em estudantes surdos, após cursarem a L1 da LSCh?". Através do material coletado, se observou que os estudantes surdos da escola estudada atingiram níveis de conversação avançados na LSCh, dado que melhoraram seu aprendizado e ampliaram sua fluidez. Estas observações incluem o aumento de vocabulário, elemento requerido para a conseguirem conversar em LSCh com seus companheiros e professores. Através destas conquistas, os estudantes podem formular perguntas e entabular diálogos que facilitam a incorporação à comunicação, eixo fundamental no centro educativo estudado.

Palavras-chave


Avaliação. Conversações. Língua de Sinais Chilena



DOI: http://dx.doi.org/10.20395/fb.v1i35.293

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Impresso: 1518-2509
ISSN Eletrônico: 2525-6211 

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Forum está avaliada como B4 no Qualis- Interdisciplinar/CAPES

 

INDEXADA EM:


Resultado de imagem para sumario.org logo  Resultado de imagem para google acadêmico Resultado de imagem para portal periódicos capes  Resultado de imagem para doaj  Imagem relacionadaResultado de imagem para livre cnen