Investigação da sequência numérica em LIBRAS

Silene Pereira Madalena, Jane Correa, Edson Akira Yahata

Resumo


Saber recitar a cadeia numérica é um conhecimento que serve de base para muitas habilidades aritméticas, especialmente as que estão sendo construídas em direção ao conceito de número. Inicialmente, esse conhecimento ocorre com a memorização das palavras-número e de sua sequência na corrente verbal (FAYOL, 1996). A compreensão de que regras linguísticas são aplicadas a essas palavras para combiná-las e formar toda a sequência numérica verbal ocorre de maneira gradativa nas crianças. Considerando-se que cada língua tem seu próprio léxico para cumprir a função das denominações numéricas, bem como regras específicas para a formação dessas palavras (NUNES & BRYANT, 1997), é importante saber como ocorre esse processo de apropriação para os usuários de Libras. Dessa feita, realizou-se estudo com 67 alunos surdos de 1º ao 3º ano do INES, com idade aproximada entre 7 e 18 anos, no qual a construção da sequência numérica em Libras foi investigada. A escolha desses anos escolares deveu-se ao fato de que os três primeiros anos do Ensino Fundamental formam um ciclo na escolarização das crianças para a consolidação de conhecimentos básicos. A atividade proposta tinha por objetivo desafiar cada participante do estudo a mostrar seu conhecimento sobre a sequência numérica em Libras a partir da pergunta: “Você sabe contar até 100 (cem)?” As recitações foram filmadas e analisadas pela pesquisadora. Contudo, tal análise apresentou grande desafio, assim as recitações foram revistas de forma conjunta pela pesquisadora e por um professor de Matemática do INES, que atuou como segundo juiz. O objetivo inicial da tarefa era identificar até onde o aluno sabia recitar sem cometer erros ou, caso os cometesse, que fosse capaz de corrigi-los. Assim, a análise inicial levou em consideração o conhecimento dos alunos até o maior numeral recitado corretamente. A forma como as crianças surdas realizaram a tarefa evidencia o quanto, para elas, a escolaridade tem implicação na aquisição desse conhecimento, pois a melhora no desempenho aumenta na medida em que os anos escolares avançam. Mesmo assim, alguns alunos de 3º ano ainda se mostraram desafiados, sem conseguir fazê-lo corretamente. Ao totalizar os estudantes que realizaram a tarefa com sucesso, foi possível notar que apenas dezesseis participantes (24%) conseguiram recitar a série numérica de 1 a 100 de maneira adequada. Muitos alunos mostraram-se cansados durante a tarefa. Podia-se perceber que a atenção decaía e os erros tornavam-se mais frequentes, evidenciando o quanto a recitação demandava, para estes alunos, grande esforço cognitivo. Alguns participantes, ao chegar a 100 (cem), comemoravam sua conquista mostrando-se felizes por terem ultrapassado várias barreiras: recitar de 1a 100 significava “contar até muitos”! De acordo com o desempenho dos alunos, é possível notar que a construção do conhecimento da recitação numérica de 1 a 100 vem ocorrendo de maneira lenta e gradativa ao longo dos anos escolares iniciais de estudantes surdos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20395/fb.v0i38.532

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Impresso: 1518-2509
ISSN Eletrônico: 2525-6211 

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Forum está avaliada como B4 no Qualis- Interdisciplinar/CAPES

 

INDEXADA EM:


Resultado de imagem para sumario.org logo  Resultado de imagem para google acadêmico Resultado de imagem para portal periódicos capes  Resultado de imagem para doaj  Imagem relacionadaResultado de imagem para livre cnen